sexta-feira, 22 de abril de 2011

A importância da cultura.

Bom, todos que me conhecem sabem que eu sou uma pessoa muito ligada as artes e a cultura de modo geral... e que a única coisa que eu sempre reclamei da maternidade foi perder a "liberdade" de ir nos show, peças de teatros e cinemas que eu quisesse... porque com um filho pequeno essas saídas se tornavam torturas e não diversão.

Pois bem, Ique completará dia 10 três anos... e nesses três anos posso garantir que estou cuidando bem da sua formação cultural. Ele já foi numa peça de teatro sobre o circo, já foi em apresentações musicais do Cocoricó, já foi contando com hoje ver 3 filmes no cinema. Isso fora as livrarias que é um hobby que ele adora.

Hoje estavámos no cinema e ao nosso lado uma mãe e seu filho, que deveria ter em torno de cinco ou seis anos... e o garotinho estava fascinado com a idéia de estar dentro do cinema, e pior me parecia muito perdido ali dentro.

Sim, eu sei que a adquirir cultura nem sempre é tão barato quando pode parecer. Uma simples ida no cinema em família, no nosso caso três pessoas e lá se vão quase cem reais. Porém existem muitos programas gratuitos, os SESCs colaboram muito pra isso, todo final de semana tem boa programação pra família... e o que dirá das próprias livrarias que sempre fazem sessões de contação de história.

Será que as pessoas não percebem que a formação cultural de uma pessoa é tão importante quanto qualquer outro tipo de formação? Uma pessoa que consome a arte tem embasamento para seus discursos, para suas conversas e até mesmo maior facilidade na sua formação academica.

Lembro-me de minha mãe me dando coleções de livros de contos de fadas, e isso me fez ter um gosto absurdo por leitura.. na época que eu estava em "forma" chegava a ler em torno de 3 livros por mês. Hoje em dia isso não é muito possível até por conta do Henrique... mas ainda leio pra ele, isso quando ele não prefere "ler" pra mim.

Sobre o garotinho que citei acima, me penalizou algumas coisas... como por exemplo: "nossa mãe, já começou o filme?" isso com uns dez minutos de filme, e a resposta da mãe foi curta e grossa "mas é claro" e o garotinho disse... "ah, não sabia que era assim". Aí me veio a dúvida... será que esse menino nunca viu nenhum filme???

Bom, impossível cuidar de todas as crianças, então cuido do meu pequeno. Introduzo a cultura e as artes à sua vida desde de sempre e assim ele sempre as verá como algo natural fazendo com que isso enriqueça nossas experiências de vida e o torne alguém repleto de argumentos e bons papos.

Se vocÊ tem filhos, pense nisso. E se não os tem, mas quer te-los... pense também.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

A volta.

Nossa, quanto tempo desde a última vez.
Muitas coisas aconteceram e eu estou aqui denovo, feliz da vida.
A maior e melhor novidade que tenho é que voltei a estudar... Depois dos quatro anos de Direito que eu joguei no lixo, eis que me rendi a minha paixão do colegial... Publicidade e Propaganda.. a principio queria voltar pra querida FMU, mas, com filho pequeno escolhi uma mais baratinha haaha, e to adorando...
Os professores são incríveis, cada dia mais gosto mais e me identifico mais.... e meus amigos de classe, já tenho os favoritos... haaha
E é engraçado, como em toda minha vida, devido minha personalidade forte e meu jeito debochado já tem gente querendo minha cabeça.... Keep cool people.... I´m just a little girl... I don´t bite.
E olha que interessante: as pessoas se acham donas das outras. Quando você chega e não conhece ninguém você dá a oportunidade de te conhecerem e também conhece os outros... daí com os dias você vai selecionando as pessoas que são mais parecidas com você, e eu claro conto muito com meu sexto sentido que nunca me engana e sempre me mostra o caminho...
Bom, nessas de conhecer as pessoas, uma delas sempre me pedindo ajuda, e eu sempre ajudando no que fosse possível... eis que a fofa começou a se achar minha dona e agora escreve recadinhos na lousa indiretas para mim, e após isso ainda fica me perseguindo com olhares... hahahahaa..
E estamos falando de uma pessoa até mais velha que eu, mas que não trabalha bem com a falta de afinidade... hahah tipo big brother... "fulana, eu te excluo do meu grupo pois não tenho afinidade com você, não consigo compreende-la"...
Bom, como eu não ligo pra isso, e sei que ainda virão outras que vão me odiar... o que importa pra mim é o curso, o meu bom relacionamento com quem quiser se relacionar direito comigo, e o meu bom relacionamento com os professores... como sempre tive.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A separação.

Bom, vc conhece alguém, se apaixona, se beijam, começam a namorar, e começam uma história.
À época, vc era uma adolescente cheia de sonhos, cheia de alegria e felicidade! Ele também, o relacionamento vai ficando sério, vocês vão ficando mais amigos, mais íntimos, mais cumplices, e aí resolvem noivar, depois o casamento...

Você se casa e tudo parece perfeito. Você descobre que engravidou e após isso a vida ganha um novo colorido e você passa a não ter mais medo de nada, você é muito forte e tem dentro de você o melhor presente que alguém poderia querer.

Seu filho nasce, e junto com ele um monte de sentimentos, sentimentos de verdadeiro amor, e sentimentos que reafirmam que não há nada melhor do que ser mãe. Essa sensação supre qualquer outra forma de amor.

Com o tempo o seu casamento vai tomando outros caminhos, aquele carinho, aquele romantismo, companheirismo vão ficando para trás, e você se vê sempre sozinha com o seu filho, como se fossem somente vocês dois mesmo.

Os avisos são constantes, mas o outro não consegue enxergar aquilo como uma tentativa, e sim como cobrança como uma forma de querer o "impossível" e começa a agir sempre de uma forma que você desaprovaria apenas pelo prazer em fazer birra...

O relacionamento vai se desgastando, e você vai se perdendo dentro desse turbilhão de coisas que estão acontecendo, você chega até a questionar a sua própria personalidade, mas é claro que quando temos Deus no coração a luz nunca se apaga e nunca fica distante.

Um dia, durante uma discussão você percebe que é isso mesmo. Que o fim chegou e que continuar insistindo no erro poderia ser prejudicial para todos, e que você na verdade precisa manter um relacionamento de respeito e de carinho com o outro, afinal de contas, vocês tem uma história de quase seis anos, e um LINDO filho que sempre estará ali com vocês para relembra-los que o fim é um recomeço de uma nova vida, de uma nova fase, e acima de tudo, a descoberta de um amor que foi deixado de lado, o seu próprio amor.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O Reflexo da sociedade.

Quinta fui assaltada, e no domingo tivemos eleição.

O que uma coisa tem a ver com a outra. Muito.

Eu fui assaltada por duas pessoas que acham que a vida deve ser ganha no mole e claro ameaçando as pessoas com uma arma em punho. Normal... vida que segue.

Aí chegamos no domingo, temos eleição, e um candidato que foi intitulado pela imprensa mundial como "palhaço" e pela imprensa nacional como analfabeto ganha um cargo de deputado federal com mais de um milhão de votos, e ganhou o cargo mesmo falando em CAMPANHA que não sabia o qeu fazia um deputado, e que ele iria ajudar os necessitados, começando pela sua família.

Lamentável. Aí você me pergunta... e o que seu assalto tem a ver com isso. UÉ TUDO.

Ao invés de elegermos pessoas comprometidas com o POVO, com o SOCIAL, elegemos palhaços que veem em Brasília a oportunidade de mudar suas vidas, ficar ricos, empregar todas as pessoas possíveis e seguir suas jornadas, e após isso receber uma boa aposentadoria... e o que eles fazem com o mandato? NADA.

Alguns estão lá com comprometimento, querem mesmo melhorar pelo menos uma área de interesse, pq uma andorinha só não faz verão, mas e a grande maioria.

E a culpa disso é minha, é sua, é do seu vizinho, é de todos nós, povo brasileiro. Nós assistimos Mallufs, Tiriricas, Mensalões, se reelegendo e ficamos quietos, tocando nossas vidas, não protestamos, não fazemos nada. Na verdade fizemos (digo fizemos pq participei disso) o Ficha Limpa ser aprovado como LEI, e é isso que temos que fazer...

Esse dinheiro que se joga fora todos os anos é nosso, esses impostos qeu não é revertido em beneficio e tudo isso é nosso, então temos que exigir, temos que lutar pelo que acreditamos.

O povo brasileiro precisa ser mais consciente e politizado, temos um país maravilhoso com um potencial incrivel... só falta vontade.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

As mudanças..

Há dois anos venho tentando mudar algumas coisasna minha vida, é profissão, é o jeito de encarar a vida, é tudo...

Tenho que confessar que estou conseguindo mudar em muitas coisas, acho que tenho conseguido ser mais madura, menos infantil e menos cri cri.

Descobri um novo "talento" que eu não sabia que tinha, nem que eu era capaz.

Começei a fazer pecinhas em biscuit. E minha intenção é o aprimoramento da técnica para um futuro trabalho mesmo. Estou há anos na mesma profissão, tenho 25 anos e há 11 trabalho com carros e já estou cansada dessa área, quero novas coisas, novos horizontes para mim.

To muito feliz em ter achado algo que me faça bem.. precisava disso algo que me deixa feliz, e que todo mundo tem me elogiado... vou postar umas fotos aqui para que vocês vejam e avaliem o trabalho, ACEITO CRITICAS.

beijoooo .

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

O Choque.

De tempos em tempos nos chocamos. Nos chocamos pois não conseguimos enxergar além do nosso umbigo, a realidade ali, vizinha a nós é muito mais gritante do que o que imaginamos.

Acho que nós temos em nosso ser aquela máxima do conforto, da nossa zona de conforto e tudo que sai um pouco disso acaba por nos chocar.

Eu vejo histórias de vida, eu ouço os contos e fico pensando como eu pude nunca parar e olhar para mim e os meus e agradecer a Deus por termos todos uma condição de vida confortável e não digo isso apenas materialmente falando.

Por exemplo, conheço pessoas que são diabéticas que sofrem muito com a doença, perdem visão, perdem membros do corpo e meu pai que é um diabético graças a Deus nem insulina precisa tomar... vejo que nós somos pequenos diante do mundo, diante de Deus.

Deus nos mostra um monte de pequenas coisas qeu poderíamos mudar em nós e a nossa volta, mas que muitas vezes não nos damos conta. Ou porque não é escancarado o suficiente ou porque simplesmente somos fragéis. Temos a fragilidade absurda para nos dar conta do que acontece a nossa volta... as vezes nos fechamos como uma pérola em sua concha para ser "mais fácil", agora que facilidade é essa que estamos buscando eu não sei. Mas buscamos sempre o caminho fácil.

Eu tenho por hábito orar e agradecer a Deus pelas conquistas, pelas vitórias, pelas coisas boas que Deus me deu, e ontem o fiz novamente, agradeci a Deus pela minha família, pelo meu filho saudável, pela minha própria saúde, e também fiz um pedido...

Deus, coloca juízo na minha cabeça.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A fala.

Eu adoro falar... falo pelos cotovelos e na verdade isso é genético porque quase todos são assim na família.
Mas ultimamente tenho tentado ouvir mais que falar, afinal Deus nos deu duas orelhas e uma boca só. E isso tem me feito bem.
Com essa coisa de falar menos e ouvir mais tenho percebido as palavras das pessoas e por vezes o que está por trás daquela fala.
Às vezes acabamos nos magoando com alguma coisa aqui, outra ali... mas nada grave nada que vá nos derrubar.
Eu prezo a minha conduta, quero ter uma conduta reta e certa..... as atitudes dos outros não me diz respeito... claro que se alguém me perguntar eu falo o que penso, mas não posso impedir alguém de falar/fazer/pensar.

Nós temos que nos valorizar como pessoas, como cerébro, temos que estudar, temos que evoluir, temos que nos dar no sentido de ajuda, se não for pra ajudar não podemos atrapalhar.

Ontem eu vi o filme do Chico Xavier, e até cheguei a senti um pouco de vergonha por mim. Por vezes me pego reclamando de algo, ou então me achando muito boa... e daí vi que não sou nada perto do que eu poderia ser... e quero muito caminhar pra isso, pra EVOLUÇÃO.

Quero falar menos, ouvir mais, perceber melhor e ajudar quem precisar.