sexta-feira, 15 de outubro de 2010

A separação.

Bom, vc conhece alguém, se apaixona, se beijam, começam a namorar, e começam uma história.
À época, vc era uma adolescente cheia de sonhos, cheia de alegria e felicidade! Ele também, o relacionamento vai ficando sério, vocês vão ficando mais amigos, mais íntimos, mais cumplices, e aí resolvem noivar, depois o casamento...

Você se casa e tudo parece perfeito. Você descobre que engravidou e após isso a vida ganha um novo colorido e você passa a não ter mais medo de nada, você é muito forte e tem dentro de você o melhor presente que alguém poderia querer.

Seu filho nasce, e junto com ele um monte de sentimentos, sentimentos de verdadeiro amor, e sentimentos que reafirmam que não há nada melhor do que ser mãe. Essa sensação supre qualquer outra forma de amor.

Com o tempo o seu casamento vai tomando outros caminhos, aquele carinho, aquele romantismo, companheirismo vão ficando para trás, e você se vê sempre sozinha com o seu filho, como se fossem somente vocês dois mesmo.

Os avisos são constantes, mas o outro não consegue enxergar aquilo como uma tentativa, e sim como cobrança como uma forma de querer o "impossível" e começa a agir sempre de uma forma que você desaprovaria apenas pelo prazer em fazer birra...

O relacionamento vai se desgastando, e você vai se perdendo dentro desse turbilhão de coisas que estão acontecendo, você chega até a questionar a sua própria personalidade, mas é claro que quando temos Deus no coração a luz nunca se apaga e nunca fica distante.

Um dia, durante uma discussão você percebe que é isso mesmo. Que o fim chegou e que continuar insistindo no erro poderia ser prejudicial para todos, e que você na verdade precisa manter um relacionamento de respeito e de carinho com o outro, afinal de contas, vocês tem uma história de quase seis anos, e um LINDO filho que sempre estará ali com vocês para relembra-los que o fim é um recomeço de uma nova vida, de uma nova fase, e acima de tudo, a descoberta de um amor que foi deixado de lado, o seu próprio amor.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O Reflexo da sociedade.

Quinta fui assaltada, e no domingo tivemos eleição.

O que uma coisa tem a ver com a outra. Muito.

Eu fui assaltada por duas pessoas que acham que a vida deve ser ganha no mole e claro ameaçando as pessoas com uma arma em punho. Normal... vida que segue.

Aí chegamos no domingo, temos eleição, e um candidato que foi intitulado pela imprensa mundial como "palhaço" e pela imprensa nacional como analfabeto ganha um cargo de deputado federal com mais de um milhão de votos, e ganhou o cargo mesmo falando em CAMPANHA que não sabia o qeu fazia um deputado, e que ele iria ajudar os necessitados, começando pela sua família.

Lamentável. Aí você me pergunta... e o que seu assalto tem a ver com isso. UÉ TUDO.

Ao invés de elegermos pessoas comprometidas com o POVO, com o SOCIAL, elegemos palhaços que veem em Brasília a oportunidade de mudar suas vidas, ficar ricos, empregar todas as pessoas possíveis e seguir suas jornadas, e após isso receber uma boa aposentadoria... e o que eles fazem com o mandato? NADA.

Alguns estão lá com comprometimento, querem mesmo melhorar pelo menos uma área de interesse, pq uma andorinha só não faz verão, mas e a grande maioria.

E a culpa disso é minha, é sua, é do seu vizinho, é de todos nós, povo brasileiro. Nós assistimos Mallufs, Tiriricas, Mensalões, se reelegendo e ficamos quietos, tocando nossas vidas, não protestamos, não fazemos nada. Na verdade fizemos (digo fizemos pq participei disso) o Ficha Limpa ser aprovado como LEI, e é isso que temos que fazer...

Esse dinheiro que se joga fora todos os anos é nosso, esses impostos qeu não é revertido em beneficio e tudo isso é nosso, então temos que exigir, temos que lutar pelo que acreditamos.

O povo brasileiro precisa ser mais consciente e politizado, temos um país maravilhoso com um potencial incrivel... só falta vontade.